Notícias

Município decreta situação de emergência devido à estiagem

Decreto Municipal Nº 3.061 foi assinado na terça-feira (11)

12 janeiro 2022

Devido ao agravamento da estiagem, o Município de Faxinal do Soturno decretou, na terça-feira, 11 de janeiro, situação de emergência em Faxinal do Soturno. A medida assinada pelo prefeito em exercício Lourenço Domingos Moro, disposta no Decreto Municipal Nº 3.061, se justifica principalmente pelos danos materiais, bem como prejuízos econômicos e sociais causados pela falta de chuvas nos últimos meses em Faxinal do Soturno. O documento, que tem validade de 180 dias, foi assinado após levantamento de perdas.

Na tarde desta quarta-feira, 12 de janeiro, o Coordenador Regional da Defesa Civil de Santa Maria, Tenente Coronel Jacob Aristeu Pinton, esteve no Município para avaliar a documentação enviada para homologação pelo Estado. Na ocasião, estiveram presentes o prefeito em exercício Lourenço Domingos Moro, o Coordenador Municipal de Proteção e Defesa Civil Iramir Zanella e o Assessor da Coordenadoria de Defesa Civil do Município Tobias Giacomini Prevedello. Após essa etapa, ainda será necessário o reconhecimento pela Secretaria Nacional de Proteção e Defesa Civil (SEDEC).

As consequências da estiagem já são visíveis em Faxinal do Soturno. O Rio Soturno, que corta municípios da Quarta Colônia, está com o nível baixíssimo. Com isso, lavouras de arroz, que utilizam a água para irrigação, já estão sendo prejudicadas. Desde o início de dezembro, a Secretara de Obras e Serviços Públicos já entregou mais de 35 mil litros de água potável para famílias do interior do Município e a Associação Corpo de Bombeiros Voluntários de Faxinal do Soturno fez a entrega de cerca de 70 mil litros de água para o consumo de animais. As localidades que já solicitaram a entrega são: Novo Treviso, Vila Cruz e Sítio dos Mellos.

A recorrência da estiagem, que já havia afetado o município no ano anterior e a pandemia de Covid-19, contribui para aumentar a vulnerabilidade social dos cidadãos, resultando em danos humanos, materiais e prejuízos econômicos e sociais. Com o decreto em vigor, o Município está autorizado a mobilizar todos os órgãos municipais para atuação nas ações de resposta ao desastre e reabilitação do cenário e reconstrução.